CUIABÁ

PESOU NO BOLSO

Mulher é condenada a indenizar em R$ 3 milhões esposa do amante

Publicado em

COTIDIANO

A traição tem um preço. No caso de uma chinesa, ela custou 3,79 milhões de yuans (cerca de R$ 3 milhões). A mulher foi condenada após a rival, esposa do seu amante, exigir que ela devolvesse todos os bens materiais que havia recebido durante o relacionamento extraconjugal.

Segundo o Shout China Morning Post, o juiz responsável pelo caso deu ganho de causa à esposa.

Durante as audiências, foi exposto que Wang, casado desde 1991, começou um caso extraconjugal com uma mulher identificada pelo pseudônimo Xiaoxia. Quase 12 anos depois, em 2020, Li, a esposa, descobriu a traição após analisar as contas do marido e perceber remessas constantes de dinheiro para a amante.

Wang admitiu o caso e até confessou à esposa que também teve um filho com Xiaoxia, que agora tem 10 anos, e os sustenta há anos.

Provas apresentadas no tribunal mostraram que Wang transferiu 1,47 milhão de yuans (quase R$ 1,2 milhão) para a sua amante entre 2013 e 2020, comprou dois apartamentos no valor total de 1,45 milhão de yuans (R$ 1,1 milhão) e também doou um carro no valor de 870.000 yuans (R$ 680 mil).

Leia Também:  Servidores públicos que destratarem vítimas de violência serão punidos

Xiaoxia argumentou que nunca soube que Wang era casado e que o dinheiro que ela recebeu ao longo dos anos foi para pensão alimentícia, mas o tribunal disse que este caso era sobre propriedade e não arquivos de pensão alimentícia.

A lei chinesa afirma que nenhuma das partes em um casamento pode gastar os bens conjuntos do casal sem o consentimento da outra parte, e como Li nunca deu consentimento aos “presentes” de Wang, Xiaoxia agora tem que reembolsar o valor total.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

COTIDIANO

VG registra dois casos suspeitos de varíola dos macacos

Publicados

em

Desde o último dia 26 de julho, a Secretária do Estado de Saúde (SES-MT) já foi notificada sobre 6 casos suspeitos de varíola dos macacos, transmitida pelo vírus monkeypox. Nesta quinta-feira, 4 de agosto, o município de Várzea Grande notificou a pasta sobre dois casos suspeitos.

A prefeitura do município informou que apenas irá se manifestar sobre os casos após a confirmação. Não há informações sobre os pacientes.

Outros casos

Os primeiros casos suspeitos da varíola dos macacos em Mato Grosso foram registrados em Cuiabá.  Os pacientes são homens, de 34 e 29 anos, e realizaram viagens a cidades da região Sudeste do Brasil em prazo de 21 dias anteriores ao início dos sintomas.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, os pacientes apresentam lesões características da doença, mas sem nenhuma complexidade.

O terceiro registro aconteceu em Rondonópolis. O suspeito é um homem de 45 anos, que voltou de uma viagem há poucos dias do Rio de Janeiro. Ele apresenta lesões características da doença, mas sem nenhuma complexidade. Conforme a prefeitura, ele vai seguir em isolamento até o desaparecimento completo das lesões na pele.

Leia Também:  Servidores públicos que destratarem vítimas de violência serão punidos

O quarto caso foi registrado na última quarta-feira, 3 de agosto, em Sorriso, em nota a Prefeitura informou que o paciente, sem revelar a idade e sexo, chegou de viagem de uma região com registro de casos confirmados.

Doença

A varíola dos macacos é uma doença causada pela infecção com o vírus Monkeypox, que causa sintomas semelhantes aos da varíola. Ela começa com febre, dor de cabeça, dores musculares, exaustão e inchaço dos linfonodos.

Uma erupção geralmente se desenvolve de 1 a 3 dias após o início da febre, aparecendo pela primeira vez no rosto e se espalhando para outras partes do corpo, incluindo mãos e pés.

Em alguns casos, pode ser fatal, embora seja tipicamente mais suave do que a varíola.

A doença é transmitida para pessoas por vários animais selvagens, como roedores e primatas, mas também pode ser transmitida entre pessoas após contato direto ou indireto.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA