CUIABÁ

REFORÇO

Mais dois postos vão operar com GNV no primeiro semestre

Publicado em

ECONOMIA

Os motoristas da Grande Cuiabá passarão a contar com mais dois postos operando com Gás Natural Veicular (GNV), ampliando a oferta até o final do primeiro semestre. No total, serão seis postos comercializando o combustível.

O atendimento será iniciado no Posto Emboava, na Avenida Miguel Sutil, no Bairro Alvorada. Na sequência, será o Fort Atacadista Posto, na Avenida Fernando Corrêa, anexo ao Fort Atacadista Coxipó, no bairro Vista Alegre. Ambos em Cuiabá.

O Emboava está com dois dispensers, equipamento equivalente à bomba abastecedora, sendo quatro bicos. Ou seja, quatro carros serão atendidos ao mesmo tempo. Já o Fort finaliza as instalações para três dispensers que atenderão até seis veículos.

A iniciativa dos empresários visa garantir que o gás natural veicular beneficie uma parcela cada vez maior da população, acelerando o atendimento e reduzindo as filas.

De acordo com João Marcelo Borges, do Posto Emboava, é mais uma alternativa de abastecimento para os usuários. “Estamos investindo em equipamentos para garantir um atendimento com mais qualidade e mais segurança. Novos postos garantem economia no bolso dos taxistas, frotistas e motoristas de aplicativos”, destaca.

Leia Também:  Mutirão Fiscal chega a 21 mil acordos concretizados e mais de R$ 83 milhões negociados

O GNV tem uma economia em relação aos combustíveis líquidos que é de 40% em relação ao etanol e de até 60% na comparação com a gasolina. Com a constante alta dos combustíveis no mundo, a diferença é extremamente significativa e garante melhor renda a quem trabalha com o transporte de passageiros.

A expansão da oferta de GNV é muito esperada e, pelo interesse dos revendedores, já teria ocorrido não fosse a dificuldade de produção de equipamentos e de mão de obra para instalação e manutenção. A mão de obra é especializada e vem dos grandes centros no Brasil.

O Fort Atadista Posto estudou o mercado de gás até encontrar o fornecedor adequado para instalações seguras, seguindo as normas regulamentadoras. Teve um incremento de 90% no tamanho da equipe. Os colaboradores foram treinados para atender a demanda esperada e com segurança.

Somente o Fort Atacadista Posto espera comercializar 300 mil m³/mês, atendendo cerca de 800 veículos por dia. Nesse posto, para a instalação dos três dispensers e demais equipamentos, o investimento alcança R$ 2,5 milhões. O Posto Emboava ainda precisa definir se locará ou comprará mais equipamentos e ainda fecha o orçamento.

Leia Também:  Arrecadação sobe 4,92% e tem melhor outubro em cinco anos

VANTAGENS

Além de oferecer vantagem no custo por quilômetro rodado, o GNV ajuda na redução de resíduos de carbono nas partes internas do motor, aumentando a vida útil e o intervalo de trocas de óleo. Também, devido à baixa emissão de nitrogênio, dióxido de carbono e enxofre, contribui para a melhoria do ar.

VOLUME CONSUMIDO EM MT

Atualmente, Mato Grosso consome pouco mais de 950 mil m³ através dos postos. Para as indústrias são destinados 110 mil m³. A distribuição e o transporte são feitos através da GNC Brasil. A empresa informou ao Sindipetróleo que está preparada para atender o dobro do atual consumo, ou seja, atender até mais quatro postos. Destacou que haverá mais postos conforme o crescimento da demanda e que, se ocorrerem filas, será por conta de problemas pontuais, como manutenção de equipamentos. A GNC também informou que está adquirindo mais veículos para o transporte do gás.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Bolsonaro altera regra sobre piso do frete pago a caminhoneiros

Publicados

em

O presidente Jair Bolsonaro (PL) editou nesta terça-feira (17) uma medida provisória que altera a lei que trata do tabela do frete pago a transportadores de carga.

A tabela do frete apresenta aos caminhoneiros valores mínimos de referência para o transporte de cargas, levando em consideração fatores que vão desde a remuneração do motorista, os gastos com seguro e as despesas com combustível.

Desde 2018, a lei previa a revisão semestral do valor do combustível considerado na tabela, além da revisão extraordinária desse custo sempre que identificado reajuste no preço do diesel igual ou superior a 10%.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, a medida provisória editada por Bolsonaro nesta terça estabelece que essa revisão extraordinária passará, agora, a ser feita sempre que identificado aumento igual ou superior a 5% no valor do diesel.

Em comunicado, da Secretaria-Geral da Presidência da República aponta que a mudança visa “atenuar o impacto da alta dos combustíveis sobre o setor de transporte rodoviário de cargas”.

A redução no “gatilho” para a revisão extraordinária da tabela do frete ocorre durante ano eleitoral e beneficia categoria que o presidente Bolsonaro identifica como parte de sua base de apoio.

Leia Também:  Vendas de veículos novos acumulam 10% de alta no ano em Mato Grosso

Além disso, ocorre uma semana após a Petrobras anunciar nova alta no preço do diesel e em meio ao aumento das criticas do presidente à empresa devido aos seguidos reajustes nos combustíveis.

Bolsonaro reclama do desgaste político que sofre devido à disparada nos preços dos combustíveis no Brasil e diz que não pode interferir na política de reajuste da Petrobras. Entretanto, promoveu mudanças, tanto no comando da empresa quanto no Ministério de Minas e Energia, após aumento de preços.

Mais recentemente, Bolsonaro e ministros do governo têm defendido a privatização da Petrobras.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA