CUIABÁ

COLEGA DE TRABALHO JÁ FOI VÍTIMA

Enfermeiro do Hospital Geral é preso por estuprar paciente grávida

Publicado em

CIDADES

Um enfermeiro que atua no Hospital Geral Universitário (HGU) de Cuiabá foi preso na madrugada desta quarta-feira (13), acusado de estuprar  uma paciente grávida, enquanto ela tomava um medicamento. Informações do boletim de ocorrência relatam que a mulher teve a parte de baixo da sua roupa retirada e foi abusada pelo homem,  por volta das 2h. O suspeito já é investigado pelo mesmo crime.

A vítima, de 28 anos, está internada no hospital por conta de uma gravidez de risco. Ela confirmou aos policiais militares que estava recebendo atendimento de uma enfermeira do sexo feminino. A profissional aplicou uma medicação, e logo em seguida deixou o local. O suspeito, um enfermeiro de 34 anos, entrou minutos depois, quando ela já estava sozinha no quarto. Verificou o medicamento e em seguida, retirou sua roupa de baixo.

A mulher relata que o enfermeiro começou a pegar na barriga dela e na virilha. Depois, apalpou os seios da vítima. Ela pedia para ele parar com a ação, mas o suspeito se negava e continuava com o abuso. A vítima não tinha forças para reagir, já que estava medicada. A gestante contou que o abuso parou quando a recepcionista entrou no quarto por alguns minutos. Mas, assim que ela saiu o suspeito continuou o abuso e ainda questionava se ela estava gostando da situação. Momento em que ela afirmou que o marido estava chegando e o suspeito saiu do local.

Leia Também:  Falta de vacinas da 2ª dose da Coronavac está sendo investigada

A gestante então retirou a medicação que estava tomando na veia, pediu ajuda para uma testemunha e acionou a Polícia Militar. O enfermeiro foi preso em flagrante e encaminhado para a Delegacia da Mulher. O boletim de ocorrência confirma ainda que o suspeito já teria sido alvo de outra denúncia com o mesmo teor. Segundo a polícia, em 2021, ele teria abusado sexualmente de uma colega de trabalho enquanto ela dormia no repouso do plantão em outro hospital.

Outro lado

Em nota a administração do Hospital Geral e Maternidade de Cuiabá (HG) informa que assim que tomou conhecimento do ocorrido abriu uma sindicância interna para apurar os fatos através de testemunhas e imagens das câmeras internas, pois preza pela segurança e atendimento humanizado aos seus pacientes.

“Importante ressaltar que a equipe do HG está consternada com o ocorrido, externa seu apoio incondicional para a paciente e que repudia qualquer tipo de violência”.

A unidade pondera ainda que até a presente data não havia registro de má conduta do colaborador mas que diante dos graves fatos relatados o enfermeiro será desligado do quadro de funcionários imediatamente.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

Prefeitura nega ação para retirada de ambulantes do centro e manda apurar o caso

Publicados

em

Após diversos vídeos viralizarem nas redes sociais mostrando vendedores ambulantes tendo suas mercadorias apreendidas nesta quarta-feira (28) na rua 13 de junho, no centro de Cuiabá, por meio de nota, o  secretário de Ordem Pública de Cuiabá, Leovaldo Sales disse que não determinou nenhum operação naquela região e que irá apurar o caso.

“Diante da situação, o secretário determinou uma apuração interna imediata para adotar as medidas administrativas cabíveis aos responsáveis”, diz trecho da nota.

Nas imagens é possível ver um veículo da prefeitura, juntamente com funcionários e policiais militares apreendendo as mercadorias e muitas pessoas que passam pelo local filmando.

Composto majoritariamente por haitianos e venezuelanos, os ambulantes costumam vender produtos diversos no centro da capital, desde meias, óculos de sol, bermudas, bijuterias, acessórios eletrônicos e etc.

Em março deste ano, a mesma Secretaria, também em conjunto com a polícia, realizou uma operação para retirada de vendedores da região central de Cuiabá.

Os vídeos podem ser conferidos aqui

Veja nota

Leia Também:  Prefeitura de Cuiabá convoca candidatos aprovados no seletivo da educação

Nota à Imprensa
O secretário de Ordem Pública de Cuiabá, Leovaldo Sales, esclarece que não determinou a realização de nenhuma operação de desobstrução das calçadas na região Central da Capital, nesta quarta-feira (29), que resultou em apreensões de mercadorias de vendedores ambulantes.

Diante da situação, o secretário determinou uma apuração interna imediata para adotar as medidas administrativas cabíveis aos responsáveis.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA