CUIABÁ

VEJA VÍDEO

Defesa de Tigresa diz que Barranco age de forma arbitrária e ilegal ao barrar candidatura

Publicado em

POLÍTICA

O advogado Paulo Lemos, responsável pela defesa da atriz pornô Ester Caroline Henrique Bonometo Pessatto, a Tigresa Vip, voltou a criticar em novo vídeo a postura do deputado estadual e presidente do PT em Mato Grosso, Valdir Barranco, que sempre que pode diz nas entrevistas que o diretório estadual do partido não aceita a filiação dela mesmo com decisão judicial.

Tudo começou após entrevista aos jornalistas na última quarta-feira (22), onde Barranco disse que os dirigentes estaduais da sigla não mudaram de ideia quanto a filiação da atriz Ester Caroline, ao partido.

“O problema da filiação dela é na instância municipal como não houve a participação dos dirigentes, eles só ficaram sabendo da filiação dela pela mídia, eles não concordaram e não concordam até hoje ainda que seja assim por cima essa filiação. E por isso que houve aqui a decisão da suspensão que foi corroborada pelo Diretório Nacional”, disse Barranco.

Em resposta, o advogado ressalta que ele age de forma arbitrária.

“É hora de parar de agir de forma arbitrária, ilegal e movida por má fé. A democracia a cidadania e o direito da pessoa humana devem prevalecer. Hora que a Ester se filiou por uma ferramenta que o PT disponibiliza desde 2016, que é a plataforma virtual, lá consta que aquele que pede a filiação não precisa fazer comunicado ao diretório municipal ou se encontrar presencialmente com o dirigente, basta fazer o pedido alí”, explicou.

Leia Também:  Com jornada 20% superior ao regime presencial; teletrabalho é instituído em MT

Tigresa se filiou no PT, de forma online, no final do mês de março, sendo que no início de abril ela recebeu sua ficha de filiação. Uma semana após a filiação on-line ela foi barrada pelo diretório estadual e semanas depois pela nacional, alegando erros formais realizados na sua inscrição nos quadros da sigla.

Ela conseguiu a filiação por meio de uma decisão liminar no mês passado. O Ministério Público Estadual (MPE) apresentou manifestação na terça-feira (21) pedindo que seja confirmada a liminar que determinou filiação de Ester. O parecer é assinado pelo procurador Henrique Schneider Neto. O fato é visto como uma vitória para a defesa dela.

No documento apresentado o partido alega que soube da filiação de Ester pela imprensa bem como a pré-candidatura para deputada estadual.

Veja vídeo 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

AL aprova projeto de Russi que agiliza repasses para Apaes e Pestalozzis

Publicados

em

Segue para sanção governamental a proposta que pode acelerar os repasses financeiros às instituições de educação especial de Mato Grosso. O Projeto de Lei nº 1143/2021, de autoria do primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), foi aprovado em segunda votação pelos deputados estaduais na sessão desta quarta-feira (29).

Na prática, a nova media estabelece prazo para análise da prestação de contas, o que vai dar agilidade aos repasses para Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) e Pestalozzis.

De acordo com Max Russi, o Executivo Estadual deverá, até a abertura do Orçamento Anual, analisar as documentações recebidas pelas associações do ano anterior e assinar os devidos convênios.

“São instituições que oferecem educação especial e estrutura para tratamento de pessoas com deficiência, uma missão mais do que especial. Diferente da educação básica, na educação especial há apenas repasse anual por aluno, haja vista que os pagamentos para as despesas com pessoal, material, entre outros, são feitos quase oito meses depois do início do ano, ou seja, as liquidações dos gastos são efetuadas depois de um longo processo de análise de prestação de contas e morosidade de assinatura dos convênios. Isso precisa mudar, para assim darmos agilidade”, justificou o primeiro-secretário.

Leia Também:  Investimento de R$ 86 milhões amplia acesso da população aos projetos de cultura e esportes

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), 52 Apaes e nove Pestalozzis são conveniadas atualmente com ao governo estadual. Conforme o PL de Max Russi, entidades terão o prazo até 31 de dezembro do ano corrente para entregar a prestação de contas e demais documentos atualizados, que comprovem a boa e regular situação da instituição.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA