CUIABÁ

IDA AO TCU

Neri diz que entende Emanuel, mas pontua que é representante do Estado; vídeo

Publicado em

POLÍTICA

Assessoria

O deputado federal e pré-candidato ao Senado, Neri Geller (PP), afirmou durante entrevista na manhã desta quarta-feira (18), que entende a posição do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), de ficar chateado com sua ida ao Tribunal de Contas da União (TCU), mas pontuou que nunca foi ‘desleal’ ao chefe da Capital.

Pinheiro teceu críticas ao deputado, após ele participar de um encontro no TCU, em Brasília, com o governador Mauro Mendes para discussão sobre a troca do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) pelo BRT (Ônibus de Trânsito Rápido), modal que ligará Cuiabá a Várzea Grande.

O deputado tentou colocar ‘panos quentes’ na situação e destacou a presença do PP na administração municipal, pontuando que ajudou Emanuel a ganhar as eleições e que assim que a poeira baixar, deve conversar com o prefeito.

“Eu entendo que o Emanuel ficou chateado. Se coloquem no meu lugar, o governador me chamou para ir na reunião. Nós estamos com bilhões de reais enterrados e nós precisamos resolver. Sei da minha obrigação de ajudar Cuiabá”, disse o progressista.

Leia Também:  No FNDE, deputada e prefeitos cobram obras de escola e creche para o Vale do Arinos

Entenda 

No último dia 12 de maio, o prefeito acusou Neri de tentar ‘boicotar’ Cuiabá.

“Vitória para Cuiabá, mas presença do Neri ali, ele que é candidato ao Senado da República e é coordenador da bancada, falando em nome de Emanuelzinho e de [José] Medeiros. Ele não fala em nome deles, com relação ao modal em Cuiabá e Várzea Grande. Isso o distanciou demais de mim. Quem joga contra Cuiabá, joga contra Emanuel Pinheiro”, enfatizou.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

AL aprova projeto de Russi que agiliza repasses para Apaes e Pestalozzis

Publicados

em

Segue para sanção governamental a proposta que pode acelerar os repasses financeiros às instituições de educação especial de Mato Grosso. O Projeto de Lei nº 1143/2021, de autoria do primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), foi aprovado em segunda votação pelos deputados estaduais na sessão desta quarta-feira (29).

Na prática, a nova media estabelece prazo para análise da prestação de contas, o que vai dar agilidade aos repasses para Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) e Pestalozzis.

De acordo com Max Russi, o Executivo Estadual deverá, até a abertura do Orçamento Anual, analisar as documentações recebidas pelas associações do ano anterior e assinar os devidos convênios.

“São instituições que oferecem educação especial e estrutura para tratamento de pessoas com deficiência, uma missão mais do que especial. Diferente da educação básica, na educação especial há apenas repasse anual por aluno, haja vista que os pagamentos para as despesas com pessoal, material, entre outros, são feitos quase oito meses depois do início do ano, ou seja, as liquidações dos gastos são efetuadas depois de um longo processo de análise de prestação de contas e morosidade de assinatura dos convênios. Isso precisa mudar, para assim darmos agilidade”, justificou o primeiro-secretário.

Leia Também:  Bolsonaro em rádio de Cuiabá: "Quem tomou Coronavac está morrendo"

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), 52 Apaes e nove Pestalozzis são conveniadas atualmente com ao governo estadual. Conforme o PL de Max Russi, entidades terão o prazo até 31 de dezembro do ano corrente para entregar a prestação de contas e demais documentos atualizados, que comprovem a boa e regular situação da instituição.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA